* Senadores vão visitar Lula na prisão em Curitiba.

A juíza Carolina Lebbos solicitou o nome dos senadores da Comissão de Direitos Humanos e Participação Legislativa do Senado Federal que vão visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na sede da Polícia Federal, em Curitiba. A Comissão informou que a visita, agendada para esta terça-feira, tem como objetivo verificar as condições de encarceramento do ex-presidente e dos demais presos naquela sede e também nas dependências onde estão os outros presos.

A juíza afirmou que não há qualquer informação de violação a direitos de pessoas custodiadas na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba e que não foi explicada a motivação da siligência, mas deu ciência à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba e ao Ministério Público Federal de que ela será realizada.

Lebbos pediu que sejam enviados os membros da Comissão que participarão da visita, para preservação da segurança e funcionamento do estabelecimento.

A visita à PF foi aprovada na quarta-feira durante reunião da Comissão de Direitos Humanos do Senado. A solicitação foi feita pela senadora Vanessa Grazziotin (AM), líder do PCdoB no Senado. Conforme a assessoria da senadora, cerca de dez senadores devem viajar para Curitiba. Também segundo a assessoria, há um “acordo” para que os parlamentares arquem com as despesas da visita.

Entre os membros da comissão, estão a presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PT-PR), e os petistas Lindbergh Farias (RJ), Paulo Paim (RS) e Humberto Costa (PE).

A juíza pediu ainda manifestação do Ministério Público Federal para decidir sobre o pedido de visita a Lula feito individualmente por políticos, como o deputado José Carlos Becker de Oliveira e Silva, o Zeca, filho do ex-ministro José Dirceu; a presidente do PT, Gleisi Hoffmann,; e o vereador Eduardo Suplicy, além de Ciro Gomes, pré-candidato à Presidência da República. Também está na fila para visita Adolfo Pérez Esquivel, ativista de direitos humanos argentino e ganhador do Prêmio Nobel em 1980. 

Em Curitiba, representantes do PT, da CUT e do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra se comprometeram nesta segunda-feira a retirar o acampamento montado diante da sede da Polícia Federal de Curitiba desde a prisão do ex-presidente, no último dia 7. Em reunião com a Secretaria de Segurança Pública do Paraná, procuradores e promotores, eles aceitaram transferir o acampamento para o Parque Atuba, distante cerca de três quilômetros da sede da PF.
Sede da PF.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »