* Em resposta ao "filho da Puta": “É inaceitável qualquer referência de baixo calão”

A Associação Paulista do Ministério Público divulgou uma nota de repúdio a Ciro Gomes, que chamou ontem de “filho da puta” o promotor que pediu inquérito policial no caso em que o pré-candidato à Presidência da República disse que Fernando Holiday era “capitãozinho do mato”.

Leia:

“A Associação Paulista do Ministério Público (APMP), entidade que representa mais de 3.000 Promotores e Procuradores de Justiça do Estado de São Paulo, da ativa e aposentados, vem a público REPUDIAR as declarações feitas pelo Sr. Ciro Gomes, ex-Ministro da Fazenda e da Integração Nacional, referindo-se de forma desrespeitosa a Membro do Ministério Público e, por consequência, a toda a Instituição, fazendo gravíssimas ameaças às honrosas atividades ministeriais, durante sabatina realizada no dia 17 de julho pela Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).
Ciro sendo Ciro.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »