* Bolsonaro diz ver com ‘desconfiança’ ideia de Guedes para a Previdência.

O presidente da República eleito, Jair Bolsonaro (PSL), disse nesta segunda-feira, 5, que ainda “não está batido o martelo” sobre a reforma da Previdência com o economista Paulo Guedes, seu futuro ministro da Economia. Ele disse ver com “desconfiança” a ideia de substituir o modelo atual por um que pressuponha uma poupança individual do trabalhador.

“Não está batido o martelo, tenho desconfiança. Sou obrigado a desconfiar para buscar uma maneira de apresentar o projeto. Tenho responsabilidade no tocante a isso aí. Não briguei para chegar [ao poder)] e agora mudou tudo. Quem vai garantir que essa nova Previdência dará certo? Quem vai pagar? Hoje em dia, mal ou bem, tem o Tesouro, que tem responsabilidade. Você, fazendo acertos de forma gradual, atinge o mesmo objetivo sem levar pânico à sociedade”, declarou, em entrevista à TV Band.

O modelo atualmente trabalhado por Guedes foi apresentado ao futuro ministro da Economia pelo ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga e pelo especialista em Previdência Paulo Tafner na semana passada. A proposta prevê adotar um regime de capitalização, no qual o cidadão escolhe o valor necessário para sua própria aposentadoria, deixando de contribuir para que a Previdência mantenha a aposentadoria dos mais velhos.

"Não está batido o martelo, tenho desconfiança (…). Não briguei para chegar (ao poder) e agora mudou tudo. Quem vai garantir que essa nova Previdência dará certo? Quem vai pagar?"

O plano de Fraga e Tafner prevê a fixação de uma idade mínima de 65 anos para homens e mulheres, o estabelecimento de uma regra de transição mais rápida do que a pensada pela equipe de Michel Temer e a instituição do regime de capitalização para nascidos a partir de 2014.

Detalhe JM: Bolsonaro quer que Temer fique o a parte podre e ele ficar com as glórias.
Começou cedo demais essa guerra anunciada.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »