* Entenda a TRI, metodologia de correção das provas do Enem.

A Teoria de Resposta ao Item, a TRI, é a metodologia utilizada para a avaliação das provas do Enem. Dessa forma, os resultados não são obtidos apenas com a quantidade de acertos, e sim através do desempenho dos candidatos nas questões de diversos níveis.

Alexandre Pinto, professor de química e diretor do Colégio Ciências Aplicadas, explica que o Ministério da Educação possui um banco de dados com questões pré-classificadas. “As questões então são classificadas em alguns níveis, de acordo com os critérios do MEC. Para facilitar o entendimento, vamos dizer que são consideradas fáceis, médias e difíceis”, diz.

Dentre as 45 questões de matemática, por exemplo, é suposto que há 30 questões fáceis, 10 médias e 5 difíceis. O aluno A acerta 30 questões fáceis e erra as outras 15. Já o aluno B acerta 15 fáceis, 10 médias e 5 difíceis. “Para o algoritmo, o rendimento do aluno A é mais real do que o do aluno B pois o resultado é mais coerente com a competência do estudante”, afirma.

Os dois alunos acertaram 30 questões, mas o argumento do aluno A será maior e, assim, a nota também. A TRI avalia que, se o candidato acerta uma questão difícil e erra uma fácil, provavelmente o acerto foi um “chute”.

Portanto, acertar mais questões não significa ter a maior nota no Enem. “É por esse motivo que o estudante deve manter a concentração e valorizar as questões fáceis. É uma estratégia para que os pontos das questões difíceis não sejam anulados ou diminuídos”, esclarece Alexandre.
Enem na pauta.
G1
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »