* Tite se recusa a encontrar Bolsonaro antes da disputa da Copa América.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) faz de tudo para uma aproximação com Jair Bolsonaro. Já Tite quer distância do político.

Ao ser perguntado sobre o encontro em solenidade oficial antes ou depois da Copa América, o treinador foi direto.

“Não. Eu continuo com a mesma opinião. A minha atividade não se mistura e eu não me sinto confortável em fazer essa mistura. Não”, disse Tite.

Antes da Copa da Rússia, o técnico já havia quebrado uma tradição na Seleção Brasileira, que se encontrava o presidente antes de embarcar para o Mundial. Desta vez, Tite se recusou levar os jogadores para estarem com o presidente Michel Temer em Brasília.

A Copa América será disputa em junho no Brasil em cinco cidades, entre elas Salvador. Depois da derrota na Rússia, o treinador precisa do titulo do torneio para se manter no cargo.

No domingo (2), a CBF convidou Bolsonaro para entregar a taça de campeão do Brasileiro ao Palmeiras, na partida contra o Vitória.

Com seus três ex-presidentes envolvidos em denúncias de corrupção -Ricardo Teixeira, José Maria Marin e Marco Polo Del Nero-, a CBF tentam-se blindar de uma futura investigação do novo governo. Teixeira, Marin e Del Nero foram acusados pelo FBI de receber propinas de contratos de TV e da seleção.
Tite na pauta. 
Folhapress
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »