* Omissão de Bolsonaro avaliza ataque público de Carlos a ministro.

O Antagonista apurou que Gustavo Bebianno falou, sim, com Jair Bolsonaro pelo WhatsApp ontem, como o próprio ministro disse ao Globo.

Segundo interlocutores, os contatos se deram por trocas de mensagens e áudios.

Questões menores que não justificariam o ataque público de Carlos, não fosse a intenção do filho do presidente de desgastar o ministro na carona das suspeitas de uso de candidatas laranjas pelo PSL – mesmo ciente de que a responsabilidade pelos repasses é dos diretórios estaduais.

Até agora, Bolsonaro não repreendeu o filho, o que sugere que Carlos faz o que faz com aval do presidente da República. A divulgação do áudio enviado por Bolsonaro a Bebianno corrobora essa interpretação.

Se Jair Bolsonaro não confia mais em seu ministro, bastava demiti-lo. Não precisava usar de subterfúgios nem terceirizar a tarefa para o filho.

Detalhe: Tá na cara que os "bolsonaros" querem se livrar do alaranjado Bebianno.

Balaio de gatos.
O antagonista.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »