* Rede Estadual de educação do RN usa Inteligência Artificial para combater a evasão escolar.

Proposta é garantir que as escolas potiguares consigam prever casos e traçar estratégias de combate ao problema antes que ele ocorra

O cenário de abandono escolar é preocupante em todo Brasil e não é diferente no Rio Grande do Norte. De acordo com a Secretária de Estado da Educação e da Cultura (SEEC), no Ensino Médio o índice de evasão escolar chegou aos 11,6% no ano passado. Para enfrentar o problema, a Secretaria tem uma forma inovadora:  usar a inteligência artificial para revelar que estudantes possuem risco de evasão antes que ela ocorra.

A ideia é que as escolas do RN consigam prever e traçar estratégias de combate ao problema, como explica a coordenadora de Gestão de Informação e Tecnologia na SEEC, professora Ana Paula Flor. “Por meio da tecnologia, nós conseguimos fazer uma prevenção para evitar essa evasão. O SIGEduc traz essa funcionalidade em que se utiliza a predição e mostra os estudantes que têm alto risco de evadir durante o ano letivo”.

Ainda segundo a coordenadora, os esforços feitos pelos órgãos de ensino no país sempre são voltados para agir após o momento da evasão. “Entendemos que o abandono escolar não é um problema exclusivo do Rio Grande do Norte, isso está encaixado no cenário nacional. A Unesco vem desenvolvendo ano a ano um trabalho de busca ativa, na qual vamos atrás do estudante que está fora da escola há um ou dois anos. É um trabalho importante que está remediando uma situação das redes de ensino, porém não se antecipa ao problema”, conta Ana Paula.

Ela revela ainda que o Rio Grande do Norte está se adiantando ao fazer um trabalho de prevenção, no qual se utiliza a Inteligência Artificial (IA). "Nós disponibilizamos para gestores de escolas e regionais, além dos professores, todos aqueles alunos que têm alto início de evadir, no início do ano letivo, para que os educadores possam atuar e evitar que eles abandonem a escola”, complementa.

De acordo com Gleydson Lima, CEO da ESIG Software, que implementou o recurso no SIGEduc, a Inteligência Artificial vai analisar o perfil dos alunos matriculados. “Fizemos um trabalho de ciência de dados em que se buscou entender todo o comportamento dos alunos que abandonam a sala de aula. Avaliamos sobre o que mais influencia na questão da evasão e, assim, criamos um modelo de inteligência artificial capaz de prever esse evento. Para cada aluno, o algoritmo dará uma probabilidade: alta, média ou baixa de abandono. Isso já está disponibilizado para gestores e professores”, detalha.

Com essa atualização do SIGEduc, a SEEC visa melhorar a qualidade da educação dos potiguares. “Vai ser um ganho imenso, pois é um passo importante para combater a evasão e é um processo riquíssimo para melhoria do nosso IDEB e do aprendizado no nosso Estado”, finaliza Ana Paula.
Recado dado.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »