* Ministro, Moro deve levar ‘República de Curitiba’ para o governo Bolsonaro.

O futuro ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, deve levar para o seu entorno quando assumir o cargo alguns dos principais nomes da chamada “República de Curitiba”, grupo de procuradores e delegados federais que, como ele, tiveram papel de destaque na Operação Lava Jato no estado.

Nesta segunda-feira, 19, ele confirmou que levou para o gabinete de transição do governo Jair Bolsonaro (PSL) – que ele também integra – os delegados Rosalvo Ferreira Franco, ex-superintendente da Polícia Federal no Paraná, e Erika Mialik Marena, que teria sido responsável por dar nome à operação, iniciada em 2014 com uma ação em um posto de combustíveis comandado por ela.
 
Marena ganhou o noticiário recentemente após polêmica envolvendo uma investigação da PF sobre desvio de recursos na Universidade Federal do Paraná. A Operação Ouvidos Moucos levou à prisão o então reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo, de 59 anos – alegando inocência e se dizendo humilhado, ele se suicidou em um shopping de Florianópolis logo após ser solto.

No final, o inquérito não reuniu nenhuma prova contra Cancellier. Após uma investigação interna, na qual foi absolvida, Marena assumiu a Superintendência da PF no Sergipe, cargo que ainda ocupa.
Time "Curitiba" em alta.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »