* No RN, Agentes Penitenciários começam "Operação Padrão" neste sábado (12).

Estarão suspensos serviços de transporte de presos para audiências, escoltas e fiscalizações das visitas aos detentos. Com isso, familiares não poderão ver os parentes que estão em presídios potiguares. Com a paralisação dos agentes penitenciários, familiares ficarão impedidos de visitar seus parentes presos. 

 Os agentes penitenciários do Rio Grande do Norte decidiram, na tarde desta terça-feira (8), promover uma “operação padrão” a partir da 0h deste sábado (12). De acordo com a presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindasp), Vilma Batista, os servidores farão apenas os serviços essenciais, como “fornecimento da alimentação dos presos, cumprimento de alvará de soltura e atendimento médico emergencial”. 

 Estarão suspensos o transporte de presos para audiências, escoltas e fiscalização das visitas. Com isso, a partir deste sábado, os familiares não poderão visitar seus parentes que estão nos presídios potiguares. A decisão foi anunciada um dia após a categoria iniciar uma campanha pedindo doações de cestas básicas e dinheiro. A medida tem a mesma motivação: pressionar o governo para receber os salários atrasados. A exemplo dos demais servidores do Rio Grande do Norte, os agentes estão com pelo menos dois pagamentos inteiros atrasados, o de dezembro e o 13º de 2018. 

Além disso, estão sem receber as diárias operacionais. “O Estado não tem feito o pagamento de uma verba que é alimentícia. E por isso a categoria tem passado necessidades básicas, sem dinheiro para alimentação e transporte. Então não temos condições de manter a normalidade dos serviços”, afirmou Vilma Batista. Negociação sobre salários ainda está em andamento A situação pode ter mudança nos próximos dias. Isso porque está em andamento uma negociação entre o Fórum dos Servidores do Estado e o núcleo econômico do Governo para chegar a um acordo com relação ao pagamento de salários. 

Na noite desta terça-feira (08), representantes do fórum estavam reunidos com o governo para discutir uma alternativa à proposta que previa o pagamento de 30% do salário de janeiro dia 10 (quinta-feira) e o restante no último dia deste mês. A proposta, entretanto, não dava nenhuma previsão concreta para pagamento dos atrasados, que incluem ainda parte do 13º de 2017 e da folha de novembro. Cada folha salarial é estimada em aproximadamente em R$ 600 milhões.
Vai parar tudo.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »