* Secretário Estadual de Saúde é sabatinado em Comissão na Assembleia Legislativa.

Em uma reunião extraordinária, a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa recebeu nesta quarta-feira (05) o secretário Estadual de Saúde, Cipriano Maia de Vasconcelos. Por mais de três horas os deputados estaduais sabatinaram o secretário sobre falta de abastecimento dos hospitais, perfil das unidades de saúde, demandas reprimidas de cirurgias eletivas, leitos de UTI, déficit de cirurgias oncológicas, urológicas e ortopédicas, além do déficit de procedimentos e diagnósticos de alta complexidade (tomografia, ressonância e citilografia), composição por fontes de financiamento dos gastos e Gestão da Saúde, entre outros.

“Considero essa vinda do secretário à Assembleia como extremamente positiva. Aqui pudemos tirar todas as nossas dúvidas e, de pronto, recebemos todas as respostas. Esse é o nosso papel cobrar, fiscalizar e trazer soluções para a problemática da saúde do Rio Grande do Norte”, disse o deputado e presidente da Comissão de Saúde, Galeno Torquato (PSD).

Membro da comissão, o deputado Getúlio Rêgo (DEM) fez um apelo ao secretário para desburocratizar os processos e dar andamento as demandas da população. “Precisamos socorrer a saúde do nosso Estado e a solução passa pela desburocratização dos processos”, disse o deputado que ainda sugeriu que um Projeto de Lei seja enviado pelo Governo para ser votado pelos deputados, dando autonomia ao secretário de saúde do Estado para agir em situações de crise. “Essa seria uma solução para sairmos da crise que estamos e, tenho certeza, que essa Casa Legislativa seria unânime em aprovar esse projeto”, sugeriu.

Os números apresentados pelo secretário de saúde foram questionados pelo deputado Nelter Queiroz (MDB). “Esses números trazidos pelo secretário são aqueles que constam no sistema, mas estão desatualizados. Vamos aguardar os números reais e somar forças em busca das soluções para a saúde do nosso Estado”, cobrou Nelter.

O médico e deputado Dr. Bernardo (AVANTE) abordou a problemática pelo viés do reajuste da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo ele, as filas de cirurgias eletivas estão sendo ocasionadas pela falta da prestação dos serviços profissionais, em virtude dos valores pagos pelos SUS. “Essa deve ser a principal bandeira. Quando o SUS começar a pagar dignamente, teremos vários profissionais prestando serviço ao Estado, o que não ocorre no momento. Caso contrário, continuaremos enxugando gelo”, ponderou.

Ainda durante a reunião o secretário falou sobre a reestruturação do organograma da secretaria de saúde e garantiu que, em relação a Central Estadual de Transplantes, tudo continuará da forma como está. “Ventilou-se uma informação que a Central de Transplante seria transformada em um Núcleo e isso não é verdade. Pelo contrário, estamos ampliando os serviços chegando em Mossoró”, explicou.
Para finalizar Cipriano Maia garantiu aos membros da Comissão a ampliação de leitos nos hospitais regionais com o objetivo de encurtar o custo, melhorar a gestão e dar mais resolutividade aos atendimentos. “Estamos trabalhando intensamente para reestruturar o SUS no Estado pensando no seu desenho macro, na regionalização e na qualificação dos serviços. Para isso, precisamos de aporte de recursos federais novos. Hoje estamos fazendo mais com menos”, concluiu o secretário.

Também estiveram presentes na reunião o presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), e os deputados Isolda Dantas (PT), Tomba Farias (PSDB), Allyson Bezerra (SDD), Francisco do PT, Gustavo Carvalho (PSDB), George Soares (PR), Souza (PHS), Ubaldo Fernandes (PTC), Albert Dickson (PROS), Raimundo Fernandes (PSDB) e Coronel Azevedo (PSL).
Sabatina na pauta.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »